Bombay

Azul Enganador

04 outubro 2006

...à minha espera...


Tenho saudades de receber, em casa, envelope fechado e gordo com cassete lá dentro. Tenho muitas, bonitas, guardadas assim. Como cartas para ouvir ou segredos ditos por outros. Os amigos, poucos, ofereciam-me assim a música de que gostavam. A oferta durava o prazer de imensos dias, fazia as horas lentas no comboio, assombrava a felicidade ou acompanhava a tristeza.

Identifico três amigos que com alguma regularidade rara me endossavam vozes em envelopes gordos: M, JP e F. F fazia-o sempre em redor de maio, num trabalho lento e belo. Montava as capas com recortes ou fotografias, escrevia negro desenhado algumas palavras e compilava músicas ... só vozes de mulheres, pequenas revelações, sons do oriente. M e JP com outra agilidade, com outra mais fácil identificação. De todos, como uma dádiva.

Tenho saudades. Muitas. Que me ofereçam sons calados dentro de um envelope. Pode ser agora raso, cd e segredos em formato mp3... ter, à minha espera, em envelope com o meu nome. Tão bom seria... que saudades tenho.

2 Comments:

  • At 15:37, Blogger M em Campanhã said…

    já podias ter dito.

     
  • At 02:05, Blogger francisco carvalho said…

    Sinto-me apanhado.
    A minha regularidade era mesmo rara.
    Sorrio enquanto escrevo isto. A minha mania da perfeição que deita sempre tudo a perder.
    Sinto-me em falta. Mas sabes que, no fundo, o blogue veio em parte para suprir todas essa faltas... E acontece que a Rádio Mistério foi mesmo criada para ir revelando os meus gostos, os meus segredos; para ir mais ou menos partilhando os meus tesouros... para além, claro, de ir disfarçando a minha falta de tempo para tudo...

    Gostei muito do teu post. Gostei do recado.
    Vamos lá a ver se não tens que esperar pelo mês de maio...

    E sabes? Há alguns meses que tenho em «draft» umas coisitas humildes sobre o tempo das cassetes...Mas também nunca mais vem a vontade de postar sobre isso...

    Beijo.

     

Enviar um comentário

<< Home